Paradoxos do papel do estado em unidades de conservação: o caso do Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco, Capela (SE)
Publicações de Turismo

Sobre

 

Nova busca:   Campo:   Tipo:     



Tipo: periódico

Título: Paradoxos do papel do estado em unidades de conservação: o caso do Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco, Capela (SE)

Autor(es): Mário Jorge Silva Santos      Mirsa Mara Barreto Xavier Leite                                                                                   

Periódico: Revista Nordestina de Ecoturismo             Volume: 5           Número: 1           Páginas:            Ano: 2012

Palavras-chave:
                                                                                         

Resumo: O presente trabalho tem como objetivos discutir e analisar as contradições estabelecidas no processo político de criação e gestão da Unidade de Conservação Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco, localizada no município de Capela (SE). O método de pesquisa foi a tomada dialética do problema, partindo da idéia de que as questões ambientais estão subordinadas à lógica capitalista, e que a mesma subordina as outras lógicas responsáveis pela tomada de decisões. Para tanto, a metodologia seguida foi a análise do processo político estabelecido na formulação da Unidade Conservação em questão com realização de entrevistas com a comunidade que vive no entorno da unidade, levantando os desafios, os conflitos estabelecidos e apontando as contradições da realidade atual, como consequência do papel do Estado na (re)configuração territorial do local.

Referência em formato ABNT:
SANTOS, Mário Jorge Silva; LEITE, Mirsa Mara Barreto Xavier. Paradoxos do papel do estado em unidades de conservação: o caso do Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco, Capela (SE). Revista Nordestina de Ecoturismo, Aquidabã (SE), v. 5, n. 1, 2012.


Comunicar um erro nesta referência