Jorge Amado e Dona Flor: as artes e o turismo na Bahia
Publicações de Turismo

Sobre

 

Nova busca:   Campo:   Tipo:     



Tipo: periódico

Título: Jorge Amado e Dona Flor: as artes e o turismo na Bahia

Autor(es): Benedito Veiga                                                                                         

Periódico: Turismo: Tendências & Debates             Volume: 5           Número: 5           Páginas: 53-57           Ano: 2003

Palavras-chave:
memória cultural      pólo turístico      baianidade                                                                             

Resumo: O lançamento de Dona Flor e seus dais maridos, de Jorge Amado, em 1966, coincide com o assentamento dos alicerces do pólo turístico de Salvador. Apesar do clima ditatorial dominante no País, dirigentes e setores empresariais do Estado já se empenham na busca dos esperados lucros do turismo. Jorge Amado, no papel de arauto das artes, prestigia a cultura negra dominante, que empresta seus traços específicos a outros setores culturais e aos hegemónicos, inclusive ao marketing, que os tornam símbolos da baianidade, como a figa, a capoeira, a comida etc.

Referência em formato ABNT:
VEIGA, Benedito. Jorge Amado e Dona Flor: as artes e o turismo na Bahia. Turismo: Tendências & Debates, Salvador, v. 5, n. 5, p. 53-57, 2003.


Comunicar um erro nesta referência