Estudo microclimático do ambiente de cavernas, Parque Estadual Intervales, SP
Publicações de Turismo

Sobre

 

Nova busca:   Campo:   Tipo:     



Tipo: periódico

Título: Estudo microclimático do ambiente de cavernas, Parque Estadual Intervales, SP

Autor(es): Bárbara Nazaré Rocha                                                                                         

Periódico: Tourism and Karst Areas             Volume: 7           Número: 1/2           Páginas: 59-60           Ano: 2014

Palavras-chave:
microclima      caverna      impacto ambiental      temperatura do ar      umidade relativa do ar e gás                                                                 

Resumo: A proteção ambiental dos recursos geológicos é uma questão com crescente interesse. A exploração de cavernas é uma das formas de turismo associada a recursos geológicos mais difundida. Por isso, deve-se conhecer suas características ambientais, tais como as climáticas, para definir estratégias de gestão e conservação ambiental associadas a seu uso turístico. Assim, o objetivo geral da pesquisa foi detectar as principais alterações microclimáticas ocorridas no ambiente cavernícola em decorrência das visitas turísticas no interior das grutas do Parque Estadual Intervales (PEI), SP. Como objetivos específicos, definiu-se: caracterizar o microclima do ambiente de caverna em condições naturais e elencar características físicas das cavidades que influenciem em seus microclimas. A metodologia consistiu na coleta de dados de temperatura e umidade relativa do ar de nove cavidades com registradores autônomos. Também foram registrados os valores de CO2. A variação dos atributos do clima foi analisada em situação natural e na presença de visitantes. Os resultados mostram que o microclima das cavernas tende à estabilidade dos valores de temperatura do ar, apresentam umidade relativa do ar próxima à saturação e concentração de gás carbônico elevada. Cavernas com rios caudalosos e claraboias não apresentam impacto em sua atmosfera decorrente do turismo, pois as trocas gasosas com o meio externo são facilitadas. Nas grutas secas e afóticas, com entradas e corredores estreitos, o microclima tende à estabilidade, estando mais sujeito a impactos, especialmente elevações na temperatura do ar. Variações na umidade relativa do ar são mais raras. Acréscimos significativos nas concentrações de gás carbônico foram detectados com uso de carbureteira.

Referência em formato ABNT:
ROCHA, Bárbara Nazaré. Estudo microclimático do ambiente de cavernas, Parque Estadual Intervales, SP. Tourism and Karst Areas, Campinas (SP), v. 7, n. 1/2, p. 59-60, 2014.


Comunicar um erro nesta referência