Cidade mercadoria, cidade-vitrine, cidade turística: a espetacularização do urbano nos megaeventos esportivos
Publicações de Turismo

Sobre

 

Nova busca:   Campo:   Tipo:     



Tipo: periódico

Título: Cidade mercadoria, cidade-vitrine, cidade turística: a espetacularização do urbano nos megaeventos esportivos

Autor(es): Gilmar Mascarenhas de Jesus                                                                                         

Periódico: Caderno Virtual de Turismo             Volume: 14           Número: especial           Páginas: 52-65           Ano: 2014

Palavras-chave:
Megaeventos esportivos      Cidade espetáculo      Políticas urbanas                                                                             

Resumo: No atual processo de reestruturação do capital, as cidades passam a assumir atribuições e iniciativas que antes eram restritas ao Estado-nação, tornando-se um elemento indispensável na organização geográfica das grandes empresas transnacionais. Este recente protagonismo das cidades se reveste de valores e estratégias neoliberais, algo que David Harvey (2005) identificou e denominou “empresariamento (ou empreendedorismo) urbano”, através de políticas que acentuam a competição entre cidades no cenário global. Este modelo apresenta densa confluência com as transformações recentes no modo de preparar as cidades para sediar megaeventos esportivos, especialmente as Olimpíadas. Surgem projetos fabulosos que resultam em maior visibilidade e atratividade turística para as cidades. A relação entre turismo e grandes eventos é evidente. Todavia, pouco se sabe sobre a dimensão precisa do real impacto destes eventos sobre a atividade turística. E sobre o papel do turismo na espetacularização desses grandes projetos.

Referência em formato ABNT:
JESUS, Gilmar Mascarenhas de. Cidade mercadoria, cidade-vitrine, cidade turística: a espetacularização do urbano nos megaeventos esportivos. Caderno Virtual de Turismo, Rio de Janeiro, v. 14, n. especial, p. 52-65, 2014.


Comunicar um erro nesta referência